Ernane, o ‘juiz’ de 28 Jogos Regionais e patrimônio da arbitragem esportiva do interior paulista

Durante estes 62º Jogos Regionais de São Carlos muitas histórias de dedicação ao esporte chegaram aos nossos ouvidos, geralmente ligadas aos competidores ou sobre algum técnico esportivo. Mas existe uma classe de colaboradores que é tão fundamental para a competição que, sem ela, não seria possível a realização dos Jogos, aliás, de qualquer disputa no esporte. Trata-se dos dedicados homens e mulheres da arbitragem. Isso mesmo, o pessoal do apito!

E ficamos sabendo da trajetória de uma dessas pessoas que está, nada menos, que nos seus 28º Jogos Regionais consecutivos: “Me lembro como se fosse hoje quando fui chamado para os Regionais de São João da Boa Vista, em 1991. Sou da época em que o Futsal se chamada ainda Futebol de Salão, a modalidade possuía um árbitro e dois bandeirinhas, hoje chamados de árbitros auxiliares. O lateral era cobrado com a mão, o goleiro não podia sair da sua área e não valia gol dentro dela. Naquela época a calça do nosso uniforme era branca”, relembra com orgulho Ernande Stefane Júnior, 57 anos, árbitro federado sãocarlense que também atua como ‘juiz’ no futebol de campo, na natação e no atletismo.

Polivalente, Ernane como é mais conhecido, se preparou para a atividade: “Sou formado em Administração Pública pela antiga Asser, hoje UNICEP, além de ter feito outra graduação em Educação Física pela, à época, Fundação Educacional São Carlos, a FESC. Também fiz pós-graduação na Universidade Federal de São Carlos [UFSCar], com especialização em Saúde da Família”, destaca o árbitro, que está aposentado mas ainda trabalha na Vigilância Sanitária da Prefeitura local há 29 anos, um a mais do que sua extensa presença nos Jogos Regionais.

Árbitro tranquilo e experiente, Ernane já apitou em 2005 a final da tradicional Taça EPTV de Futsal, sua primeira importante decisão disputada naquele ano no Ginásio Municipal “Milton Olaio Filho”, palco do encerramento e das últimas disputas por medalhas nesta sexta-feira (13/7) nos Jogos.

Entre muitas lembranças dos Regionais, ele revela que possui uma coleção de camisas de cada edição em que atuou: “Já estou atrás da camisa dos Jogos de São Carlos. O tamanho é GG”, avisa brincalhão o árbitro.

“Sou do tempo em que nós da arbitragem trocávamos cartas pelo correio com todo tipo de informações sobre os Jogos em que iríamos participar. Hoje, a evolução tecnológica e, principalmente o Whatsapp, agilizou e facilitou tudo de maneira incrível. A arbitragem é, sobretudo, uma grande família e onde fazemos muitos amigos queridos”, fala Ernane.

Ele diz que existem muitos outros árbitros com bastante ‘rodagem’ em Jogos Regionais, mas bate no peito e garante: “De São Carlos eu sou o mais antigo”.

Após apitar uma partida de futsal feminino na quadra coberta do Complexo do Sesi São Carlos, Ernane gentilmente bateu um papo com a assessoria de imprensa dos Jogos Regionais e gravou uma entrevista imperdível (vejam áudio abaixo), onde compartilhou resumidamente seu sentimento sobre o trabalho como árbitro, suas experiências e emoções nas competições, a admiração pelos companheiros e companheiras de arbitragem, incluindo uma homenagem aos seus incentivadores e aqueles amigos árbitros que já se foram.

Ao longo da última semana o Ernane estava ansioso pela publicação desta matéria e ficou mandando mensagens via Whatsapp para saber quando sairia o texto. Pois amigo Ernane, pronto, chegou o dia e deixamos para este fechamento dos 62º Jogos Regionais de São Carlos como uma forma de homenagem ao teu empenho e tua dedicação, onde incluímos nesse reconhecimento todos os teus colegas do ‘apito’. Boa leitura e boa escuta do áudio! Até 2019 nos 63º Jogos Regionais de Botucatu.. Queremos te ver lá também, Ernane. Priiiiiiiiii…

 

Áudio:

 

Galeria de lembranças dos Jogos Regionais (imagens: cortesia Ernane Stefane Júnior)

 

 

Siga, curta e compartilhe: